Francal Feiras

PT
EN
ES

Notícias › Parques, Festas, Piscinas, Decoração e Paisagismo

Como usar a Inteligência Artificial no varejo

Publicado em 08/11/2018 17:59:00

Para especialista, trata-se de uma revolução que está transformando as relações de consumo.

Nas últimas décadas, foi possível observar uma série de mudanças no setor de varejo graças às novas tecnologias. A Inteligência Artificial reformulou a maneira como os consumidores compram, como as empresas gerenciam cadeias de suprimentos e definem os preços dos produtos.

A utilização da tecnologia no varejo traz ainda mais benefícios como, por exemplo, uma melhor experiência do consumidor. Hoje em dia, os eles estão à procura de serviços cada vez mais rápidos e, ao mesmo tempo, de qualidade. A Inteligência Artificial pode ser uma aliada de empresas que utilizam a Internet das Coisas para conectar as lojas e marcas. Assim, o atendimento ao cliente será cada vez mais personalizado, rápido e instantâneo.

Na visão de Carlos Tabosa, diretor da OPAH IT Consulting, consultoria especializada em Inovação, Transformação Digital e no uso da TI para geração de negócios, o novo paradigma de vendas já está acontecendo e o consumidor demandará cada vez mais inteligência na venda.

Tabosa explica que os principais e-commerces, por exemplo, já tratam Inteligência Artificial como premissa em sua plataforma tecnológica. “Isso acontece não só na experimentação com o cliente, mas também com analytics, comportamento do cliente, personalização de conteúdo, ofertas inteligentes de acordo com as preferências dos clientes e tantos outros exemplos”, afirma.

Ainda de acordo com o especialista, a Inteligência Artificial veio para provocar mudanças em todos os segmentos de negócios. No ambiente virtual já é explorada e no físico será ainda mais. Lojas conceito do Alibaba e da Amazon já criam uma experiência nova e tentadora para os clientes que convertem em compras seus interesses em vendas. Além disso, o custo operacional fica ainda menor para as empresas - ou seja, é cenário ideal para quem vende.

Trazendo a discussão para o Brasil, Carlos Tabosa avalia que há uma questão cultural relacionada à segurança das informações online muito forte, o que infelizmente ainda diminui os índices de venda online de todas as empresas. Porém, o especialista acredita que este cenário está mudando para melhor. Para ele, o “novo” cliente demanda mais agilidade e confia mais no mundo online, pois ele próprio está conectado 24 horas por dia. A realidade vem se misturando, cada vez mais, ao mundo virtual.

O consultor entende que, no futuro, teremos integração entre ambiente físico e virtual. Inteligência Artificial e Realidade Aumentada tratarão disso e ajudarão a desfazer essa barreira cultural. Isso permitirá que o físico e o virtual tornem-se inseparáveis e que as experiências possam ser cruzadas, como já se experimenta no Omnichannel. Quem sai ganhando, no final, é o cliente, que poderá usufruir de experiências cada vez melhores.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa da OPAH IT Consulting

Parceiros

Montadora Oficial